Cancelamento

#praentender

Se você não está muito habituado com este termo, não se sinta mal, ao contrário, sinta-se alegre, pois não se deparou com um lado podre da internet.
Mas se clicou nesse texto, significa o interesse de saber mais sobre.

Como começou?
O Cancelamento, como conhecemos hoje, é uma perversão do movimento #METOO que as mulheres dos EUA utilizam para expor homens poderosos que abusavam de seus cargos para abusa-la física e mentalmente, tinha uma causa justa no inicio, mas com o tempo, os influenciadores entenderam como esses ataques podem gerar mídia para eles.

O que é?
Cancelamento, hoje em dia, consiste em pegar uma declaração (distorcida ou ultrapassada) e expor, não a ação, mas caracterizando a pessoa por aquilo, valendo do seus fãs, que obedecem ao websucesso sem nem questionar.
Atacam o alvo por todos os meios possíveis, fazendo o mesmo perder contratos, acessos e em alguns casos responder criminalmente a distorção que foi publicada.
Resumindo é o último passo que uma pessoa ou grupo podem fazer antes de partir para a agressão física.

É “justo” uma pessoa ser cancelada?
Deve estar se perguntando agora ou “certamente alguns merecem”.
Provavelmente.
Maas, uma das principais críticas a todo esse processo é justamente a seletividade dele.
As pessoas canceladas têm um viés bem claro, tanto que o humorista Léo Lins gosta de chamar o Politicamente Correto de “Esquerdisticamente Correto”.

Tratar mulher como inferior é algo inadmissível, a não ser que você seja um artista global que apoie o Lula.
Ficar excitado com uma criança? nojento ou asqueroso, a não ser que seja o queridinho da microbolha da internet.
Racismo é um atraso da humanidade, a não ser que seja um negro falando sobre um branco.

Para não nos afogarmos em informações, ficamos mais seletivos, a plataforma reage lhe alimentando com o conteúdo que você que ver, para te deixar mais tempo nela, essa guerra pelo nosso Tempo tem tido efeitos na sociedade já.
As pessoas não questionam mais, só tem certeza.
A ponto do Felipe Neto, um grande influenciador de um público mais jovem, desafiar alguém para um debate, com um detalhe:
Ele iria mandar outra pessoa no seu lugar, ou seja, ele não tinha ideia do que estava defendendo.

O principal alimento dos canceladores é ódio e frustação maquiados do que eles alegam ser “justiça social”. Isso faz uma pessoa querer dizimar a outra, mostrando muito de nós como sociedade.
Não acredito que isso um dia deixará de existir.
Teremos pessoas com estilos de vidas não aceitos por determinado grupo e isso fará todo esse processo reiniciar.

O ponto aqui é entender: Cancelamento mata, ele pode fazer pessoas desistirem de suas vidas.
Não é uma atitude de uma era civilizada, se não concorda com a atitude de alguém, proteste, deixe seu repúdio AO ATO, e siga a sua vida, não viva surfando nessa violência digital, as vezes até física, por não aceitar o que não entende.

O cancelador vai ser sempre cancelador, mas você pode usar essa energia para incentivar e ajudar as pessoas a melhorarem. Conto com você.

Minha humilde opinião… que acham? Concordam? Discordam?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.